10 agosto 2006

Perecíveis e descartáveis.

Resolvi tentar dizer os motivos... não importam mais as consequências, tentarei expor as causas, sem falhas, essas ficaram rabiscadas num papel amassado qualquer. Quero apenas te mostrar os planejamentos que sequer chegaram ao papel, a esferográfica passou longe de provar realidades que só existem em minha cabeça sonhadora... ... Sonhos... talvez não exista meio melhor para justificar determinados fins.
Creio não saber o que pretendi justificar, mas mantenho a certeza de que determinei os fins e sonhei com os meios.

... Meios... metades... partes e pedaços...
Motivos à parte e em pequenos pedaços partidos ao meio. Cada metade com suas verdades, cada verdade com suas consequências desimportantes, toda a importância de planejamentos em pedaços... sonhos à parte e partidos por noites confusas e mal dormidas...

... Falta...

Sobram-me motivos perecíveis e descartáveis...
Tentei dizer... mas começa a ficar difícil persuadir as palavras a meu favor e protagonizá-las sem parecer tolo ou desesperado... e os motivos palpáveis são tantos...

Antes continuar preso ao medo de "escrever" que amo, do que soltar verdades perceptíveis e particulares.

...

Resolvi guardar meus motivos... as consequências já se expuseram demais.



"Eu tenho tempo pra tudo mas falta sempre um minuto."
(In)Conformado - Beto Brito

2 comentários:

thiago dantas disse...

... você já foi sincero por demais, acredite.

Vinícius disse...

Muitas vezes o que reside dentro da gente é grande demais para ser exposto por um meio tão limitado como a palavra...

Seu coração é grande demais para ser traduzido em vogais e consoantes... E eu te admiro por isso.


Abraço!