17 junho 2007

No Palco

Meu Amor de Verão de Paul Pavlikovsky
Uma cena. Refletores. Dois atores que nunca se encontram no mesmo parágrafo. Um texto. Um monólogo.
Cadê meu palco?
Uma arte na parede, uma mão acenando em minha direção e o fingimento acabou, voltei a ser eu e não consigo representar. Estou preso em papéis que encenei a vida toda, perdido em dramas e comédias que são meu cotidiano, uma rotina esquisita repleta de mocinhos e vilões com o mesmo rosto, nomes diferentes.
Escrevi numa árvore o nome de uma peça que assisti na minha infância, ou em fase onírica qualquer de meus quase vinte anos, e a revi de novo em meus sonhos. Estava em cartaz em todos os teatros de uma mesma avenida e os atores mostravam-se de costas para quem tentava compreender - ou apreender quem sabe - seus rostos. Erámos mascarados na bilheteria e apenas ouvíamos o texto. Como quando somos bem pequenos e nossos pais nos contam histórias para dormir (mesmo que por vezes isso só aconteça em filme) e temos que imaginar o reino encantado com principes e princesas infelizes, suas trágicas e fantasiosas histórias e seus "viveram felizes para sempre". Mas a peça nos deixava na metade, no meio do caminho. A meia luz se apagava, tiravam nossas máscaras e estávamos no palco, sozinhos, sem ponto de luz ou deixas para improvisar. Erámos assistidos pela bancada, alto-intitulada "vida real", e não podíamos errar.
Toda assistência era negada, cada passo corrigido e toda expressão analisada. Queria um picadeiro, abandonar o palco e fazer o que sei de melhor: rir pra não chorar.
...
E acordei.
As cortinas estavam intactas e a platéia muda. Aquele silêncio de quem acabou de assistir a um David Linch e tenta com rapidez e uma certa lógica impossível juntar todas as peças e entender o que viu predominava no teatro.
Baixei a cabeça para agradecer e cumprimentar meu sonho e os aplausos surgiram tímidos e foram crescendo até que voltei a dormir.
"... Sou sua mas não posso ser
Sou seu mas ninguém pode saber."
[ Nos Seus Olhos - Nando Reis ]

3 comentários:

irun disse...

Texto lindo... adorei a foto tbm...
bjo e aplausos bem calorosos

puzzle disse...

eh... muitos e muitos aplausos!!!!

no palco da vida por algum motivo, às vezes devemos ficar no backstage

t amo!!!

FOXX disse...

ai
preciso digerir esse texto
por alguma motivo...
naum desceu bem...