07 janeiro 2006

"Deixe que o tempo cure..."

Nada comum numa quinta-feira de janeiro, na qual se acorda com dor de garganta e sabe que a mesma é uma prévia da gripe. Vontade de ficar na cama e deixar a faculdade lá no lugar dela, quieta e cotidiana... a rotina não me interessava hoje. O ócio seria mais interessante, mas a responsabilidade era/é gritante.Na universidade nada de muito novo, conversas, comida, aulas, notas, perninhas balançando, trechos interessantissimos do livro que estou lendo(Diário de Fescenino de Rubem Fonseca), encontros agradáveis... o essencial. De lá fui ao 'aulão' do cursinho pré-vestibular para as provas do próximo domingo, da segunda e da teça... um inferno! Nunca pensei que teria de passar por isso novamente, mas quem mandou se arrepender do curso?! Agora aguente!

Tudo ou quase tudo estava muito chato e cansativo, desde de manhã "na rua" é foda. A hora não passava nunca, começo as 14h, término as 20h... putz, ainda haviam algumas horas para sofrer. Mas a boa noticia veio num cavalo branco, espadaúdo e elegante. Por voltas das seis da tarde, quase sete para falar a verdade, meu celular vibra em meu bolso. Olho o número, não reconheço. Atendo, alguém desconhecido mas que sabe o meu nome. Indentifica-se como Rafael(ou seria Raphael?! Com "ph" igual ao meu primo, minha prima e um amigo meu?! enfim, isso não importa muito) e fala de um currículo que deixei em sua loja há um tempo e pergunta se ainda teria interesse. Nossa, eu vibrei e corri para fora do ginásio onde estava sendo realizado o enfadonho aulão de revisão. Ele falou se tratar da loja OZ, que fica localizada no Shopping Cidade. É uma loja de roupas não causais, mais modernas, e que vende parafernalhas em geral como piercing, cintos, bolsas, botas, camisas e artigos de bandas, etc. Desse shopping, foi a única loja que deixei curriculo no ano passado há um tempão. Acho que por volta de setembro ou outubro mais ou menos. Não consegui nada no ano passado e estou a espera até agora. Em resumo, ele perguntou se estaria disponível para uma entrevista neste sábado, 07, as 13h, confirmei minha presença e fiquei feliz. Depois voltei as aulas tão queridas de física, quimica, matemática e todo o resto que eu 'adoro'.

Cheguei em casa quase dez horas e estou aqui, caindo de sono mas não podia deixar de expor o quanto bem esse telefonema me deixou, não me livrou da gripe, mas me deixou bem, e muito bem.



"Calma
Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure
Deixe que o tempo cure
Deixe que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu."
A idade do céu - Simone e Zélia Duncan

[Letra de Paulinho Moska]

2 comentários:

Dea disse...

Perninhas balançando foi oooootemo!vc n esquece seu estilo emo nem aki,msm estando num estado n mt agradavel e talz. Imagino como deve ter sido cansativo.E ainda tem hj e amanha disso.vixe! Boa sorte viu? Td vai acontecer da melhor maneira q tem q acontecer p vc. E eu to torcend mt por txii!! bjao...amo vc!

Larissa Lima disse...

Aê... Boto fé no q a Déa escreveu. Esse stress passa já. E estou torcendo para q essa doação as melhores materias do mundo pra ti (física e afins) seja recompensada com muita alegria. Bjão. Qualquer coisa mentalize a minha figura q vc lembrará até do que não sabe. kkkkk Descontração a parte. BOA SORTE. Sucesso. PAciência e LUZ. Bjos.