13 março 2006

"A moralidade me olha com desagrado..."

"O que dizer se toda alegria foi pouca pra dissolver a monotonia?"


Coisas simples e claras embrulhadas num papel brilhoso de cores fortes e psicodélicas.


Não tente ler o que você não enxerga, eu não sou tão simples assim.


O que você vê ao olhar minhas roupas?
Sim, pois isso é a única coisa que consigo mostrar sem abrir a boca e a cem metros de distância...
O que você vê quando não me vê?
Enxerga homens altos e fortes em uma sodomia loucamente escancarada na porta de sua casa?
Exerga-me no meio?
Em que parte me incluo? Nos altos ou nos fortes? Ou na parte "loucamente escancarada"?
Pernas abertas, um binóculo e duas boas escoras... uma para seus braços e outras para as minhas perna.

Viu o suficiente?
Agora pode rezar por mim e me comparar aos maníacos, estupradores, ladrões e assassinos que o seu Deus condena. Pode dizer que sou doente ou digno de pena, deixe-me viver a libertinagem que me pertence de acordo com suas leis que não passam de meros argumentos verbais bastante pifios.

Acredito que sou diferente, penso até que sou melhor, mesmo, muitas vezes, vocês me fazendo sentir uma puta... muitas vezes me fazendo olhar o erro que não cometi... mesmo me fazendo sentir...

Eu sabia, já havia notado ultimamente, que o amor estava saindo de moda, só não sabia que de moda ele estava se tornando pecado. Juro, pra mim isso foi uma surpresa!
Talvez Lulu Santos seja realmente o último romântico, talvez ninguém mais veja o Amarante numa fila de pão pensando num possível amor... Talvez eu deva ajoelhar no milho e cantar "Hosana nas alturas", seja lá o que isso for...

Já que fui comparado a um animal por não conseguir ser racional em relação ao que sinto, e por não procurar a Igreja Universal do Reino de Deus mais próxima para encontrar a salvação, eu creio que não serei perdoado e não poderei mais entrar no reino dos céus.

Então continuarei amando a quem me faz bem e acreditando que fazendo isso eu serei uma pessoa feliz, seja com ou sem a aprovação de coadjuvantes religiosos e retrógrados.
Continuarei desejando pessoas do mesmo sexo se isso me for confortável.
Desejarei pessoas do sexo oposto se assim tiver de ser.
Continuarei achando bizarro e criminoso sentir prazer com animais e crianças... talvez pedofilia e zoofilia sejam mais aceitáveis nos dias atuais do que um beijo entre homens ou mulheres...

E assim continuarei, me indignando e me ofendendo. Amando e odiando o que eu estabelecer como certo ou errado para mim.



"This is love... God will forgive me..."


ps: frase do titulo -> Walking In My Shoes - Depeche Mode
Primeira frase do post -> Melancolia - Ludov

Ultima frase do post -> I Remember - Damien Rice

3 comentários:

ilka disse...

Muitas palavras, total verdade!
Grande desfecho...onde tudo é visto por 'bons olhos' mas beijar uma boca 'igual' é inadimicível...
É um tanto irônico tanta coisa pra se resolver e de fato, criticado, e a sociedade põe em vista O AMOR!Sublime amor q pelo q me consta n tem sexo pra ser identificado!
Seria um coração na mão?
=D~
Imagens tbm guardam mtos sentidos!
Perfeito!
Amto-te!

Marcinho disse...

Quando a moralidade bater em sua porta, deixe-a a entrar e a convide para um chá. Confortavelmente, pergunte: o que é certo? o que é verdade?
Silencie...
Respondo: padrões e morais são criados de forma a conduzir determinada sociedade numa linha de pensamento e conduta. E a verdade? Não há verdade. Não existe a verdade. Existe a vida, sentimentos e razão. Viver em função de uma moralidade social e aniquilar-se e ser hipócrita ao ponto de não entender que o comum não nos atrai. Que o bom é ser diferente. Vale a pensa ser diferente.
Puta, promíscuo, pecador? Nomeem da forma que quiser. O que importa não é o que fazemos nem como fazemos. O que importa é: viver. Estou feliz com isso? Basta...
Se a moralidade não entender e virar a costas para você: xuta a bunda dela.

Te amu, lindo, bjus...

mouris disse...

porque não há moralidade. há um grupo de pensamentos de uma pessoa hipócrita com poder.

[e isso vai pro subtitulo do meu blog]